Close

Voc ainda no um membro? Registre-se agora.

lock and key

Log in.

Account Login

Esqueceu sua senha?

Horários de Funcionamento

Consultas: de 2ª a 6ª, das 8h às 18h. Marque já sua consulta.
Fisioterapia: de 2ª a 6ª, das 8h às 19h, somente com hora marcada.
Marcação de consultas e Fisioterapia: até as 18h.

Expedicionários da Saúde comemoram resultados da 18a expedição na Amazônia

03 dez Notícias | dezembro 3, 2010

Cirurgias de catarata congênita em três irmãos emocionaram os integrantes da Expedição; tratamento deve continuar em Campinas

Foram sete dias de trabalhos intensos em meio à floresta. Nem mesmo a seca – comum nesta época do ano na região – conseguiu desanimar a equipe médica que compõe os Expedicionários da Saúde. Muito pelo contrário, para esses médicos o desafio costuma ser motivador. “Mesmo com os obstáculos, o resultado desta expedição foi surpreendente. É emocionante ver aquelas pessoas chegarem, depois de terem viajado por mais de 24 horas para serem atendidas”, confessa Ricardo Affonso Ferreira, idealizador e presidente dos Expedicionários da Saúde.

A região escolhida para essa expedição foi Santa Isabel do Rio Negro, mas precisamente na comunidade de Cartucho, na Amazônia. Segundo balanço da ONG, durante os sete dias foram realizados 1.161 atendimentos e 179 cirurgias, a maioria delas oftalmológicas. E foi justamente um caso de catarata congênita que chamou a atenção dos médicos. Três irmãos com idades de 4, 6, 8 anos, diagnosticados com a doença, fizeram as intervenções necessárias no local para conseguir reverter a doença. “A cirurgia nas crianças foi um sucesso. Mas após um período de quatro meses, elas terão que viajar a Campinas para uma nova avaliação. Tudo será feito sem nenhum custo para a família”, esclarece Ricardo.

A catarata é uma das principais causas de cegueira infantil tratável e passível de prevenção. Muito comum em pacientes idosos, quando acomete crianças a catarata assume maior gravidade, pois, se não tratada rapidamente, a doença pode se tornar irreversível.

Essa foi a décima oitava vez que os Expedicionários da Saúde deixaram seus compromissos do dia-a-dia para embarcar em uma viagem cujo propósito é unicamente prestar atendimento gratuito e de qualidade às comunidades indígenas da Amazônia. O grupo, que inclui mais de 40 profissionais, entre oftalmologista, ortopedista, anestesiologista, cirurgião geral, pediatra e médica da família, além de enfermeiras e profissionais de logística, que chegam 10 dias antes para montar toda infraestrutura no local. Ao todo, são mais de oito toneladas de carga, entre barracas do Centro Cirúrgico Móvel, geradores, aparelhos de ar condicionado, equipamentos cirúrgicos, medicamentos, materiais de consumo, etc.

Além dos atendimentos às comunidades isoladas na Amazônia, que completam oito anos, em 2010 os Expedicionários da Saúde assumiram o desafio de prestar atendimento médico e cirúrgico às vítimas do terremoto que devastou o Haiti no dia 12 de janeiro deste ano. De lá pra cá, já foram realizadas sete expedições, um total de 1.300 atendimentos e 400 cirurgias. Instalados no Hospital Canadense Brenda Strafford, em Les Cayes, cidade localizada a 150 quilômetros da capital Porto Príncipe, Ricardo comenta que os “Doctor Brasilien” – que na tradução livre quer dizer “Doutores Brasileiros” –, como são conhecidos pela população, tornaram-se referência na região para tratamento de casos ortopédicos complexos.

X Prêmio Paes Leme

Fruto da seriedade de um trabalho que orgulha a classe médica e a população em geral, os Expedicionários da Saúde receberam o X Prêmio Paes Leme, oferecido pela Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas. A cerimônia para entrega do Prêmio aconteceu na sede social da própria SMCC.