Close

Voc ainda no um membro? Registre-se agora.

lock and key

Log in.

Account Login

Esqueceu sua senha?

Horários de Funcionamento

Consultas: de 2ª a 6ª, das 8h às 18h. Marque já sua consulta.
Fisioterapia: de 2ª a 6ª, das 8h às 19h, somente com hora marcada.
Marcação de consultas e Fisioterapia: até as 18h.

Dores nas Costas

Milhões de pessoas do mundo inteiro têm dores nas costas e procuram ansiosamente por ajuda. O termo “dores nas costas” pode se referir a ores na região do pescoço (cervical), no dorso do tórax (torácica) ou na região posterior da cintura (lombar) e podem estar relacionadas a vários fatores: uso inadequado do corpo (funcional), fraturas, doenças sistêmicas, infecções e tumores; 80% das pessoas vão passar por uma crise dessas durante a vida. A lombalgia (dores na região lombar e coluna) é a causa mais comum de perda de dias de trabalho em pacientes abaixo de 45 anos.

É importante saber que a coluna vertebral é o eixo central de nosso corpo e tem como funções principais manter a postura ereta, suportando o tronco e a cabeça, permitir movimentos ao tronco e proteger a medula espinhal. É composta de 33 ossinhos sobrepostos (vértebras), sendo 24 móveis e intercaladas por discos invertebrais, amortecedores de choques, e 9 fixas, fundidas umas às outras.

A coluna vertebral, quando vista de frente ou de costas, deve ser reta de ponta a ponta (observa-se no espelho). Quando vista de lado, normalmente a coluna apresenta três curvaturas: lordose cervical (voltada para frente), cifose dorsal (voltada para trás) e lordose lombar (voltada para frente), e quando alinhadas mantém em boas condições os orifícios por onde saem as raízes nervosas. Alterações no alinhamento da coluna vertebral determinam uma postura inadequada, sendo, algumas vezes, a causa da dor.

Escoliose é o desvio lateral da coluna, ou seja, a coluna não é reta de ponta a ponta, quando vista de frente ou de costas. As curvaturas normais vistas no perfil da coluna também podem se alterar, retificando-se ou acentuando-se. Portando, cheque no espelho o alinhamento de sua coluna. Você deve observar o equilíbrio entre os dois lados do seu corpo; as orelhas, os ombros, as mamas, a cintura, os joelhos e os pés devem estar alinhados. Já se olhando de lado, na postura ereta correta, existe uma linha imaginária que passa pela orelha, pela ponta do ombro, meio do quadril, por trás da dobra do joelho e a frente do calcanhar, orientando um bom alinhamento.

Entre uma vértebra e outra, encontra-se o disco invertebral, que é formado por um núcleo gelatinoso recoberto por uma camada externa. O disco age como coxim amortecedor entre duas vértebras. Ele fica firmemente preso às vértebras adjacentes e pode sofrer compressões. Entretanto, algumas situações podem favorecer seu desgaste, podendo levar até sua ruptura, com a conseqüente protusão (saída) da substância gelatinosa que fica no interior do núcleo pulposo (hérnia de disco) e possível compressão de raízes nervosas. Os ligamentos são tiras de tecidos que “amarram” uma vértebra a outra, promovendo o seu bom alinhamento e prevenindo sua destruição, devido ao movimento excessivo. Movimentos em grandes amplitudes podem distender estas estruturas e causar dor.

Os músculos que se relacionam com a coluna vertebral (músculos dorsais e abdominais, principalmente) estabilizam a espinha, mantêm a postura adequada e promovem o movimento voluntário. Podem também servir de local de descarga de tensões, que enrijecem e produzem dor. Para realizar suas funções adequadamente, os músculos devem ser fortes e flexíveis.
Os nervos são estruturas que saem da medula espinhal, ramificando-se entre cada duas vértebras e interligam o sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal) ao resto do corpo, transmitindo os comandos aos órgãos e músculos. Eles também enviam mensagens de tato, temperatura e dor. Se ele está pinçado, pode desencadear dor, irradiada ou não para outras regiões do corpo, como braço ou perna.

Causas de dores nas costas

Mecânicas

A maioria das dores nas costas é decorrente do excesso de uso de distensão (ou estiramento) de músculos e/ou ligamentos. Posturas inadequadas, mau condicionamento físico, hábitos indevidos no trabalho, falta de exercícios regulares, obesidade e vícios posturais para dormir e para as atividades diárias são os exemplos mais comuns, quer seja por fadiga, devido a movimentos repetitivos, ou por uso de posições estáticas (permanecer parado) por tempo prolongado, e também por movimentos repentinos e além da capacidade.

Acidentes

Muitas vezes, a origem das dores se dá em decorrência de levantar um objeto muito pesado, ou então, por acidente no trânsito (brecada brusca lançando a cabeça para frente), ou mesmo um acidente no esporte. Após um episódio agudo é comum que as crises se tornem mais freqüentes e intensas, tendendo a se tornarem crônicas.

Adquiridas

Nos jovens, uma das causas mais comuns das dores nas costas é a chamada espondilolistese, que nada mais é que um simples escorregamento de uma vértebra sobre a outra, podendo levar a dores irradiadas para as pernas.

Nos pacientes mais idosos, a artrose (“bico de papagaio”) e as microfaturas por osteoporose (perda de cálcio ou osso poroso) podem também ser a causa de dores nas costas.

A hérnia de disco é outra causa de dor, estando muitas vezes associada à dores irradiadas para as pernas, formigamentos e perda de força para caminhar. As infecções não são muito freqüentes, mas podem surgir em nosso meio, sendo comum a tuberculose, que exige tratamento com antibióticos e/ou cirurgias. O fumo hoje é considerado um causador de dores nas costas pela destruição da circulação do disco invertebral e pela tosse crônica que levaria a um aumento da pressão intradiscal e degeneração mais precoce.

Emocionais

Os problemas emocionais são causas comuns de dores nas costas, pois a tensão emocional pode levar a espasmos (tensão) musculares e dor. A própria presença de dor de longa duração nos quadros crônicos pode levar a quadros depressivos e distúrbios de comportamento, acentuando ainda mais as dores.

Cuidados com a coluna

Para que o corpo funcione em seu melhor estado de saúde, ele deve ser usado de forma que nenhum esforço seja impresso sobre os músculos, articulações, ossos e ligamentos. Para prevenir as dores nas costas, o evitar desse esforço deve-se tornar um modo de vida, praticando enquanto deitado, sentado, em pé, andando, trabalhando ou fazendo exercícios. Quando a posição do corpo está correta, os órgãos internos têm espaço suficiente para funcionar normalmente e o sangue circula mais livremente.

A má postura prejudica a boa aparência e causa dores. Só você poderá corrigi-la, aprendendo a viver com boa postura e mantendo os músculos mais fortes, tão necessários para proteger e sustentar suas costas que trabalham tanto.

As dores nas costas, por serem muito freqüentes em nosso meio, são tidas como um mal comum. Muitas vezes, a procura de profissional da área da saúde só ocorre quando a doença já está avançada e pouco se pode fazer por ela.

Portanto, em caso de dor ou qualquer alteração na coluna, um profissional capacitado é sempre recomendado. Uma vez estabelecido o diagnóstico, o tratamento específico será individualmente indicado.

Quando a dor estiver mais intensa, alguns cuidados caseiros podem auxiliar no alívio da dor:

  • Utilizar-se de posições de alívio: utilize posições de relaxamento, como deitar de costas com pernas apoiadas sobre um almofadão ou sofá, ou com as pernas dobradas.
  • Aplicar no local da dor alguma forma de calor (bolsa de água quente, compressa quente ou banho de chuveiro) por 15 a 20 minutos. Mas não se esqueça: nunca na posição de barriga para baixo nem dobrando o corpo para frente! Ou seja, com a coluna reta!

A grande maioria dos casos de dores nas costas não necessitam de cirurgia, sendo resolvidos por um programa de orientação postural geral e muita compreensão, pois trata-se, muitas vezes, de pacientes dolorosos crônicos que já visitaram vários profissionais, sem solução objetiva.

Um enquadramento em programa de exercícios periódicos sob orientação de um fisioterapeuta, pelo menos nas fases iniciais, se faz necessário, assim como orientação alimentar para se evitar a obesidade.

Orientação postural geral

Uma vez conhecida a causa das dores nas costas, a correção da postura nas atividades do seu dia-dia faz parte do tratamento. Lembre-se sempre que a boa postura não é simplesmente saber carregar peso, mas sim usar corretamente o corpo o tempo todo. Para prevenir as dores nas costas você poderá começar a usar o seu corpo de forma mais adequada.

Gradualmente, associando à mudança nos hábitos o programa de exercícios orientados por fisioterapeuta, você estará com melhor postura, bem como com os músculos em boas condições e, por isso, dando maior proteção à coluna e também maior suporte físico para suas atividades no trabalho.

  • Evite dobrar a coluna ao levantar o peso. Traga o peso o mais próximo do seu corpo antes de levantá-lo e para transportá-lo, mantenha-o na altura da cintura;
  • Divida o peso em dois volumes, um em cada mão, para equilibrar o esforço;
  • Ande sempre com a coluna alinhada, mantendo a barriga para dentro (músculos contraídos), peito para fora e olhando para o horizonte (para frente);
  • Para não sobrecarregar suas costas aos subir as escadas, não se incline para frente;
  • Evite ficar muito tempo na mesma posição nas atividades diárias. Use mesa para passar roupa na altura do seu cotovelo e um banco para apoiar um dos pés, o que alivia a tensão na região lombar. Faça o mesmo ao permanecer em pé numa fila, ou ao lavar roupa ou louça, apoiando um dos pés no alto.
  • Trabalhe em mesa ou balcão que propicie ficar com a coluna alinhada, procurando sempre mantê-los na altura dos cotovelos e flexionando os joelhos (você pode usar um banquinho embaixo de um dos pés);
  • Ao varrer, passar aspirador ou carpir, use vassoura, aspirador ou enxada com o cabo no tamanho ideal (sua altura), mantendo a coluna mais alinhada possível;
  • Use sempre cadeira de encosto e assento reto. Posicione-se próximo à mesa e a altura dos cotovelos. Sente-se sempre de encontro ao encosto e evite dobrar o pescoço para frente. Se necessário, use um apoio inclinado de livro sobre a mesa para não precisar dobrar o pescoço para ler ou escrever;
  • Evite torções ou movimentos de “agacha e levanta” freqüentes no serviço. Posicione seus objetos à frente e em posição confortável;
  • Evite torção do pescoço ao atender e segurar o telefone;
  • Sente-se sempre em cadeira de encosto reto para ler ou assistir TV. Se necessário, coloque uma almofadinha entre sua coluna lombar e o encosto da cadeira;
  • Ao dirigir, sente-se junto ao banco apoiando a cabeça no encosto. Use o cinto de segurança; evite torções bruscas olhando para trás; use o retrovisor;
  • Para dormir, evite a posição de bruços, pois ela aumenta a tensão lombar. Prefira a posição de lado ou de barriga para cima. De lado, use um travesseiro embaixo do pescoço, que deve fazer o contorno dos ombros (a altura deste travesseiro deve preencher o espaço entre seu ombro e sua orelha) e outro entre os dois joelhos. De barriga para cima, procure usar um travesseiro bem alto embaixo dos joelhos e outro mais baixo, sob a cabeça;
  • Não assista televisão ou leia na cama em qualquer posição;
  • Evite usar salto alto, que acentua a sua lordose lombar, podendo causar dor e até mesmo quedas;
  • Ao trocar de roupas, calçar um sapato ou lavar os pés no banho, sente-se em um banco, evitando dobrar o corpo para frente. Puxe sempre o pé na direção de sua cintura;
  • Use um banquinho para apanhar objetos no alto, limpar janelas ou colocar roupas no varal;
  • Ao levantar-se da cama, vire-se de lado e com ajuda dos braços empurre seu corpo para cima, eleve o corpo, soltando as pernas para fora da cama.